Fernanda Montenegro faz Juliana Paes desabar em A Dona do Pedaço; saiba por quê!!!

Logo no primeiro capítulo de A Dona do Pedaço teremos a tentativa de um  assassinato que irá nortear toda a história de duas famílias rivais de matadores profissionais.

Para você entender a trama da novela, que é inspirada no clássico Romeu e Julieta, é preciso saber que a família de Maria da Paz (Juliana Paes) é inimiga da família de Amadeu (Marcos Palmeira).

Após tentativa de assassinato, a mocinha é ameaçada por rival: “Tá jurada de morte”

Juliana e Amadeu se conhecem num passeio a cavalo e os dois se apaixonam sem saber que suas famílias são inimigas, e que vivem se matando uns aos outros que nem filme de bangue-bangue americano.

Para colocar um ponto final na guerra, os dois decidem se casar e conseguem firmar um pacto de não agressão entre as duas famílias.

Mas no dia do casamento, o noivo leva um tiro pelas costas no altar e a briga entre os Ramirez e Matheus fica ainda pior.

Ao ser informada que o seu amado está entre a vida e a morte, Maria da Paz exige saber quem entre os seus familiares tentou matar Amadeu

A protagonista exige que sua irmã Zenaide (Maeve Jinkings) vá até a igreja para confessar o seu pecado. “Eu tava no altar. A mãe, o pai, o primo Adão, a mulher dele, tavam no altar”, diz Maria da Paz.

“Eu não era madrinha, não podia ficar no altar”, se defende Zenaide. “Cheguei a convidar você pra madrinha, e cê não aceitou. Foi você quem deu aquele tiro, Zenaide. Pra vingar a morte do seu marido, você quebro o pacto. Não teve dó de mim. Atirou no meu noivo. Foi você. Você!”, acusa Maria da Paz

Nessa hora chega a matriarca da família, que assume a autoria do crime: “Fui eu”, diz a personagem de Fernanda Montenegro, deixando a protagonista chocada.

“Vó? Você? Não pode ser você, não pode”, diz Maria da Paz, desnorteada. “Eu atirei no seu noivo, no altar. Não me arrependo“, diz a avó, sem quaisquer remorsos pelo seu ato.

“Eu consigo atirar em chama de vela, por isso acertei Amadeu para levá-lo mais cedo para o céu”, diz a matriarca.

Maria da Paz não consegue entender porque foi traída assim pela sua avó querida: “Você, vó? Você, que sempre me amou? Me ensinou a fazer bolo, sempre me tratou com todo carinho. Por que, vó? Por quê? Não quer minha felicidade?”, pergunta.

“Eu dei aquele tiro com carinho. Carinho para você”, se justifica Dulce, mas a neta não consegue entender;  “Quebrou o pacto, vó. Quebrou”, diz a mocinha. “Pacto. Pacto é uma palavra. Quanto vale uma palavra, quanto? Cê ia viver no meio daquela família sanguinária”, responde a avó da protagonista.

Dona Dulce argumenta que Maria da Paz seria tratada como uma escrava pelos Matheus: “Iam pisar em você. Ia levar pontapé, ser maltratada. Se tivesse um filho, seria deles, não nosso”, se justifica.

Nessa hora, Zenaide confessa que ajudou dona Dulce a planejar tudo: “Eles mataram meu marido. Por isso tirei as meninas do altar”, revela.

Maria da Paz se desespera: “Vocês arrasaram com a minha vida”, diz. “Não. Nós te salvamos. Mais dia menos dia a palavra pacto ia ficar cinzenta, virar pó. Era questão de tempo pra algum deles te matar. Mesmo que esse Amadeu, que foi criado fora e a gente mal conhece, quisesse impedir, eles matavam. Ou por tiro, ou fingindo acidente”, diz a avó, tentando fazer a neta entender por que ela agiu dessa maneira.

No entanto, para tristeza das duas, Maria começa a chorar descontroladamente. A avó continua: “Atirei antes deles acabarem com você na primeira oportunidade. Pra salvar você. Por amor”, diz, tentando consolar a neta.

Não perca a cena no primeiro capítulo de A Dona do Pedaço nesta segunda-feira, dia 20. 

Veja também a história completa da novela 

Conheça a história de “A Dona do Pedaço”, novela inspirada em Romeu e Julieta